Sunday, September 7, 2014

Lecsó: Conserva de Pimento à moda Húngara / Lecho: Sweet Pepper preserve, the Hungarian way

Depois da abundância de ervilhas, curgetes e tomates durante a Primavera e início do Verão, a nossa horta deita agora pimentos e beringelas pelas costuras. Tenho usado estes últimos em saladas, em deliciosos gaspachos (eu gosto desta vesão à alentejana), que sabem tão bem nos dias mais quentes. O resto, tenho congelado, para usar mais tarde em tortilhas e ovos mexidos. Mas mesmo assim, a horta dá mais do que consigo usar. Fiquei, por isso, muito curiosa quando ao receber notícias da minha amiga J., da Hungria, fiquei a saber que também ela, tem andado ocupada nestes últimos dias, a colher  pimentos da sua horta e a fazer lecsó, um prato que não só é delicioso comido na hora, como pode ser conservado para usar mais tarde. É claro que lhe pedi imediatamente a receita e aqui fica ela:

Lecsó: Conserva de Pimentos, receita da J.

Esta receita usa 3 ingredientes principais, na proporção seguinte:
1 cebola: 2 tomate: 4 pimento

Eu tinha acabado de apanhar 1.5 kg de pimentos, portanto usei 750g de tomate e 375 g de cebola.

Como fazer:
Cortar grosseiramente as cebolas.
Remover o pé e as sementes dos pimentos e cortá-los em pedaços de tamanho médio (podem ser tiras, com cerca de 1.5 cm de largura, eu cortei em quadrados, de largura um pouco maior).
Cortar os tomates em pedaços, o tamanho não interessa muito, uma vez que vão acabar por se desfazer.

Saltear a cebola em azeite até ficar macia. Juntar os pimentos, sal, cominhos (eu usei pouca quantidade, porque acho o sabor demasiado forte) e pimenta preta moida.

Misturar tudo e deixar cozinhar. Pode-se adicionar alguma água nesta fase, mas não convém ser muita, pois os pimentos irão libertar o seu suco. Quando os pimentos começarem a ficar macios, juntar o tomate e cozinhar até ganhar consistência (como eu não juntei água, ao fim de cerca de 25 minutos ficou pronto).

Esta é a receita básica, mas segundo a minha amiga, existem muitas variantes e diferntes formas de usar esta base. Pode usar-se para fazer arroz (adicionando-o quando o lecsó está quase pronto). Pode usar-se uma pequena porção para fazer ovos mexidos, adicionando, se se quiser, um pouco de chouriço ou bacon na fase inicial, juntamente com a cebola (isto é algo que faço frequentemente, para um jantar leve) . O lecsó também pode ser usado como "cama" para assar frango no forno, adicionando-lhe um pouco de curgete ou beringela. Outro dos conselhos da J. que tenho ainda que experimentar é acompanhar o lecsó com natas ácidas.

Para conservar, basta usar o mesmo processo que descrevi anteriormente para a conserva de tomate.

Assim, se tal como nós, tiverem abundância de pimentos, ou se, simplesmente, quiserem aproveitar um produto da época que agora abunda nos mercados, experimentem esta receita. Daqui a alguns meses, quando num dia frio de Inverno abrirem um frasco, lembrar-se-ão de alguns dos maravilhosos sabores do Verão...

* * *


After the loads of peas, zucchini (this year we went for the striped variety) and tomatoes during spring and early summer, our vegetable garden has now an abundance of eggplants and sweet peppers. I've been using the latter in salads, in cold gaspacho soups (wonderful on these latest super hot days...) and freezing the surplus, but I still had far more than I could deal with. So I was happy when I learned that I am not alone and that my good friend J., from Hungary, has also been busy harvesting her own bell peppers and making a tasty lecho out of them, to be preserved and used when the colder autumn days arrive. I promptly asked her for the recipe and here's the tasty result:


Lecho: Sweet Pepper preserve, J.'s recipe


There are three main ingredients and this is the ratio to be used:
1 onion: 2 tomato: 4 pepper

I had 1.5 kg of peppers, therefore I used 750g tomato and 375 g onion.

How to do it:
Chop the onions into small pieces.
Remove the stem and seeds of the peppers and cut them into medium sized pieces.
Cut the tomatoes into pieces, it does not matter how big, since they will fall apart in the end anyway.

Put the onions into hot oil (I used olive oil), and sautée them until they go mild. Then add the peppers, salt, ground caraway-seeds (I used just a bit, because I find their flavour a bit too strong) and ground black pepper (in addition you can also use red pepper, I used only back because that was what I had at hand).

Mix everything and let it cook. You can add some water, but not too much because the peppers will release their own. When the peppers get softer, add the tomatoes, and then cook until it gets very consistent (because I added no water, it took me approximately 25 minutes).

This is the basic recipe but according to my friend, there are many variations and several ways to use it. You can cook it with rice (just put it into when the lecho is almost ready). A smaller portion of Lecho fried together with eggs is wonderful and you can add a bit of bacon or chorizo in the initial stage, together with the onions - this is something I've been doing often, as a light meal. Lecho can also be used for cooking, if we mix it with eggplant or zuchhini, it is perfect to be the "bed" for chicken baked in an oven. Another of J.'s advice that I will certainly attempt is to try it with sour cream.

To turn the lecho into a preserve, you can use the process I described before for the tomato sauce.

So, if like us, you have too many peppers, or if you just want to take advantage of an in season product and make some preserve, try this one. And when within a few months you open a jar, on a cold winter day, you'll remember some of summer's wonderful flavours.

5 comments:

  1. Olá! Não sei se já experimentaste, mas já fizemos no ano passado e resultou muito bem. Assámos os pimentos, tirámos pele e sementes, partimos em tiras e congelámos em porções variáveis. Já comemos algumas vezes, a acompanhar qualquer prato que ligue bem, é só descongelar e temperar com um pouco de sal e azeite. Dá imenso jeito para as sardinhadas, porque a parte dos pimentos é sempre a que dá mais trabalho. E ocupa muito menos espaço na arca do que os pimentos crus! Beijos!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Sim, também já experimentei. Primeiro tentei conservar sem congelar, mas azedou tudo... Depois congelei e ficou realmente muito bem.
      Esta versão tem outras aplicações e a vantagem de ser menos trabalhosa (porque não é preciso descascar os pimentos) e não ocupar espaço no congeador. Mas são coisas diferentes, claro, eu continuo a apreciar muitíssimo o pimento assado e não uso este método como substituição.

      Delete
  2. Olá! Não sei se já experimentaste, mas já fizemos no ano passado e resultou muito bem. Assámos os pimentos, tirámos pele e sementes, partimos em tiras e congelámos em porções variáveis.


    ทางบ้าน

    ReplyDelete